Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3): como as varejistas se prepararam para a Black Friday

Negócios

Ana Clara Macedo

Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3): como as varejistas se prepararam para a Black Friday Magalu (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3): Veja os planos da Black Friday Foto: Unsplash

A Black Friday de 2022 finalmente chegou. Varejistas, lojistas e financeiras passaram o mês de novembro se preparando, antecipando ofertas, investindo nas frentes de marketing e “esquentando” as promoções por meio das redes sociais.

O Magazine Luiza (MGLU3), a Via (VIIA3) e a Americanas (AMER3), três gigantes varejistas do Brasil, falaram sobre seus planos para a Black Friday, com potencial de impulsionar as vendas das companhias pelo grande movimento no e-commerce – principalmente com a Copa do Mundo e o Natal dando sequência ao evento.

Era esperado que o tráfego dos sites de compras online crescesse de 3 a 5 vezes na Black Friday, disse Gabriel Vecchia, Diretor de Vendas da Signifyd no Brasil.

Além disso, durante a Black Friday 2022, devem ser movimentados R$ 6,05 bilhões no e-commerce e os pedidos online podem atingir 8,3 milhões, segundo estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Abaixo, veja como eram os planos de cada varejista para a Black Friday de 2022:

Magazine Luiza (MGLU3) pode ter “maior Black Friday de todos os tempos” em 2022, diz diretor

Após ter feitos diversas – e grandes – aquisições nos últimos meses, o Magazine Luiza esperava que sua estratégia fosse suficiente para a empresa ganhar uma fatia de mercado ainda maior no acumulado do semestre e esperava ‘talvez a maior Black Friday de todos os tempos’.

Isso em meio a um contexto de alta competitividade no varejo, com presença de players estrangeiros como o Mercado Livre (MELI34), a Shopeee e a Amazon (AMZO34), e após um ano de 2021 com uma atividade reprimida no segmento.

A projeção da casa era de que o ticket médio gasto pelos brasileiros ficasse acima dos R$ 2 mil – patamar projetado pelo Mercado Livre em um levantamento recente com consumidores brasileiros.

Em teleconferência sobre os resultados do segundo trimestre deste ano, em meados de agosto, o presidente do Magalu, Frederico Trajano, já citava as sazonalidades como positivas para a empresa.

Via (VIIA3): ‘extremamente otimista’ com BF em meio à Copa; veja por quê

A varejista apostava em um ticket médio alto, acima dos R$ 2 mil, com produtos eletroeletrônicos sendo relevantes para elevar o gasto com consumo dos brasileiros. Nesse aspecto, a Via apostou principalmente em televisores e smartphones.

Nesse sentido, a varejista inclusive antecipou em uma semana as ofertas, visando a sazonalidade da Copa do Mundo no mesmo período da Black Friday– o que é frequentemente citado por players do setor como um coincidência positiva para as receitas.

Em períodos de Copa do Mundo, o faturamento com TVs tende a aumentar de 25% a 30%, e esse patamar pode ser ainda mais potencializado com os descontos da Black Friday.

A Via, vendo esse cenário, também ofereceu descontos volumosos – de até 70% – e modalidades de pagamento que possibilitam em até 30 vezes sem juros no CDC e no carnê.

A companhia também revelou ao Suno Notícias ter feito cerca de mil contratações visando o período de fim de ano.

Americanas (AMER3) apostou no marketplace, transmissões ao vivo e influencers para aumentar vendas

Americanas (AMER3) diz ter se preparado com antecedência para a Black Friday e para a Copa do Mundo, trazendo ações de frete, serviço e marketing voltadas para as datas.

Atualmente, o marketplace, de venda de lojistas, é o maior negócio da Americanas, com mais de 60% das vendas digitais da plataforma. Portanto, os investidores estão atentos ao desempenho deste segmento nesta Black Friday, que acontece simultaneamente à Copa do Mundo.

Segundo informações do jornal Valor Econômico, a Americanas tem aumentado os incentivos no frete a lojistas do marketplace. A empresa também lançou a sua área de lojas oficiais no mês da Black Friday.

Em entrevista ao Valor Econômico, Maro Zolet, diretor executivo de marketplace e comercial da Americanas, lembrou que é a primeira vez na história em que uma Black Friday está ocorrendo no mesmo período que a Copa. Além disso, a data vem muito perto do Natal e ano novo, época em que as vendas também são fortes para o varejo.

“Muitos veem tudo isso com preocupação. Mas a gente gosta de eventos – para nós, isso é viés de alta”, disse Marco Zolet ao Valor.

O marketplace da Americanas começou “muito acelerado” após o Dia das Crianças, disse o executivo.

A empresa também vem elevando incentivos no frete a lojistas do marketplace e lançou área de lojas oficiais, com subsídio aos vendedores.

Assim, a varejista antecipou um pouco as ofertas da Black Friday, no dia 24 de outubro, intitulado “esquenta Black Friday”. Em entrevista ao Infomoney, Marcelli Valle, gerente de branding da Americanas, destacou a estratégia de usar influenciadores digitais para impulsionar as vendas.

CSN (CSNA3) paga dividendos bilionários; veja

CSN (CSNA3) paga dividendos bilionários; veja

Banco do Brasil (BBAS3) pagará quase R$ 1 bilhão em proventos; veja

Banco do Brasil (BBAS3) pagará quase R$ 1 bilhão em proventos; veja

Barsi ganha R$ 1 milhão ao dia em dividendos; veja carteira

Barsi ganha R$ 1 milhão ao dia em dividendos; veja carteira

Moeda rara vale até R$ 7 mil; veja se você tem

Moeda rara vale até R$ 7 mil; veja se você tem

Moeda rara de R$ 1 vale até R$ 8 mil; veja

Moeda rara de R$ 1 vale até R$ 8 mil; veja

Notícias semelhantes
Notícias mais populares dessa semana