Topics quentes fechar

Visita guiada revela os pormenores conhecidos de Marte em 10 meses de Perseverance

Embarque numa visita guiada a Marte e veja os principais “pontos turísticos” de Cratera Jezero pelos olhos do rover Perseverance, como os vestígios do delta de um rio que ...
.article-inline-ads-2020{width:300px;margin-left:auto;margin-right:auto;overflow:hidden;} .article-inline-ads-2020 .ad-ctn {padding-top:14px;} .article-inline-ads-2020 .ad-ctn:not(:empty):before {top:0;}

A recolha de amostras pelo rover Perseverance vai bem e recomenda-se e já resultou em descobertas surpreendentes, como a grande probabilidade de o terreno marciano ter resultado de lava vulcânica, que se traduz em implicações para a compreensão e datação precisa de eventos críticos na história de Cratera Jezero, assim como na do resto do planeta.

Os investigadores ligados à missão puderam concluir, igualmente, que as rochas na cratera interagiram com água várias vezes ao longo das diferentes eras e que algumas, inclusive, contêm moléculas orgânicas.

Num vídeo narrado, a NASA faz uma visita guiada, através de uma imagem panorâmica legendada, aos principais “pontos turísticos” de Cratera Jezero visitados pelo rover Perseverance desde que chegou a Marte, há 10 meses.

Mesmo antes de Perseverance pousar em Marte, a equipa científica ligada à missão já se perguntava sobre a origem das rochas na região de reconhecimento. Seriam sedimentares ou criadas por fluxos de lava de um vulcão marciano extinto há muito tempo?

As dúvidas desfizeram-se com a ajuda de instrumentos que apetrecham o veículo robótico, como é o caso do PIXL - Planetary Instrument for X-ray Lithochemistry, que usa a fluorescência de raios-X para mapear a composição elementar das rochas.

Com os resultados da análise foi possível perceber, por exemplo, que determinada amostra foi alterada pela água diversas vezes, o que vai permitir que no futuro os cientistas possam datar os eventos em Jezero, compreender melhor o período em que a água era mais comum na superfície da região e revelar as origens do Planeta Vermelho, sublinha a NASA.

Outra grande notícia é a descoberta de compostos orgânicos pelo instrumento SHERLOC - Scanning Habitable Environments with Raman & Luminescence for Organics & Chemicals. O achado não é a confirmação de que existiu vida em Jezero e deixou bioassinaturas, já que os compostos orgânicos podem ser criados por mecanismos biológicos e não biológicos

Tal conclusão só vai poder ser retirada quando as amostras forem devolvidas à Terra e analisadas por por ferramentas mais avançadas dos que as que podem ser levadas para Marte, mas por enquanto os investigadores estão satisfeitos pela possibilidade confirmada de que os instrumentos integrados no Perseverance detetaram a presença de compostos orgânicos preservados nas amostras.

A missão da NASA a Marte começou no dia 30 de junho do ano passado. A chegada ao planeta vermelho concretizou-se a 18 de fevereiro. Veja ou reveja nesta galeria de imagens alguns dos momentos mais marcantes.

Clique nas imagens para mais detalhes
Notícias semelhantes